Exemplo do Gênero Textual Manifesto

O manifesto se caracteriza como um gênero textual argumentativo. No manifesto, uma pessoa ou um grupo se posiciona frente a uma problemática, seja social, política, cultural ou religiosa. Observe abaixo três exemplos desse tipo de produção textual.
No primeiro exemplo, está identificado em negrito as partes que compõe a estrutura desse gênero textual.

TEXTO 1

Título: Manifesto pelos direitos dos animais

Corpo do texto:
Nós, do grupo Vida Animal (identificação de quem manifesta), viemos por meio deste manifestar nosso repúdio às ações que visam os maus-tratos de animais, como a eliminação de animais doentes e o uso de cobaias em testes farmacêuticos. (Neste parágrafo é apresentado o motivo do manifesto).
Entendemos que a vida deve ser preservada e que não há justificativa para tamanha crueldade. (A justificativa para a existência deste manifesto)
Exigimos a revisão de leis que tratam do assunto, uma vez que as que temos no momento não atendem mais às demandas do mundo atual. (Neste parágrafo é apresentada uma sugestão de solução para a problemática apresentada no primeiro parágrafo do manifesto)

Local, data e assinatura:
São Paulo, 30 de abril de 2014. (Identificação do local e data)
Grupo Vida Animal (no caso, o autor é um coletivo de trabalho, um grupo denominado Vida Animal)

TEXTO 2

Manifesto contra a violência doméstica
Nós, mulheres, exigimos que a Justiça atue melhor, mais rapidamente, com transparência e protegendo efetivamente as cidadãs de situações de risco. Entre 2009 e 2011, mais de 17 mil mulheres foram mortas pelas mãos dos seus maridos, companheiros, namorados e ex. A casa não pode ser um espaço de medo e opressão, bem como as relações e os laços familiares. Queremos viver livres e amar sem submissões, controle ou violência. Não somos de ninguém, somos donas da nossa própria vida.
24 de novembro de 2012
Associação de Mulheres Contra a Violência (AMCV)


TEXTO 3

Manifesto 2000 (Manifesto pela paz)
Reconhecendo a minha cota de responsabilidade com o futuro da humanidade, especialmente com as crianças de hoje e as das gerações futuras, eu me comprometo em minha vida diária, na minha família, no meu trabalho, na minha comunidade, no meu país e na minha região, a:
Respeitar a vida e a dignidade de cada pessoa, sem discriminação ou preconceito;
Praticar a não violência ativa, rejeitando a violência sob todas as suas formas: física, sexual, psicológica, econômica e social, em particular contra os grupos mais desprovidos e vulneráveis como as crianças e os adolescentes;
Compartilhar o meu tempo e meus recursos materiais em um espírito de generosidade visando o fim da exclusão, da injustiça e da opressão política e econômica; Defender a liberdade de expressão e a diversidade cultural, dando sempre preferência ao diálogo e a escuta do que ao fanatismo, a difamação e a rejeição do outro;
Promover um comportamento de consumo que seja responsável e práticas de desenvolvimento que respeitem todas as formas de vida e preservem o equilíbrio da natureza no planeta;
Contribuir para o desenvolvimento da minha comunidade, com a ampla participação da mulher e o respeito pelos princípios democráticos, de modo a construir novas formas de solidariedade.

Manifesto disponível em www.unesco.org.br/noticias/noticias2000/nu200/nu200e/mostra¬_documento

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Plural por dentro?!

Adjetivos Pátrios de cidades brasileiras

Um texto sem a letra A