Atividades Pedagógicas de Aprendizagem Autorregulada da Seeduc/RJ - 1ª ano do Ensino Médio | 1° Bimestre

Habilidades Associadas: diferenciar texto literário de não literário; identificar nos textos da literatura de informação e nos jesuíticos as marcas das escolhas do autor, da relação com a tradição literária e com o contexto sociocultural; identificar o sentido denotativo e conotativo da linguagem; reconhecer as funções da linguagem: referencial, metalinguística, poética e emotiva.

Aula 1: A carta de Achamento do Brasil
Atividade 1

CARTA DE ACHAMENTO DO BRASIL (Pero Vaz de Caminha)

Senhor,
Posto que o Capitão-mor desta Vossa frota, e assim os outros capitães escrevam aVossa Alteza a  notícia do achamento desta Vossa terra nova, que se agora nesta navegação achou, não deixarei de também dar disso minha conta a Vossa Alteza, assim como eu melhor puder, ainda que – para o bem contar e falar – o saiba pior que todos fazer!
Todavia tome Vossa Alteza minha ignorância por boa vontade, a qual bem certo creia que, para aformosentar nem afear, aqui não há de pôr mais do que aquilo que vi e me pareceu. [...]
E portanto, Senhor, do que hei de falar começo. E digo quê:
[...] seguimos nosso caminho, por este mar de longo, até que terça-feira das Oitavas de Páscoa, que foram 21 dias de abril, topamos alguns sinais de terra. E quarta-feira seguinte, pela manhã, topamos aves a que chamam furabuchos. Neste mesmo dia, a horas de véspera, houvemos vista de terra! A saber, primeiramente de um grande monte, muito alto e redondo; e de outras serras mais baixas ao sul dele; e de terra chã, com grandes arvoredos; ao qual monte alto o capitão pôs o nome de O
Monte Pascoal e à terra A Terra de Vera Cruz! [...]
E dali avistamos homens que andavam pela praia, uns sete ou oito, segundo disseram os navios pequenos que chegaram primeiro [...]. A feição deles é serem pardos, um tanto avermelhados, de bons rostos e bons narizes, bem feitos. Andam nus, sem cobertura alguma. Nem fazem mais caso de encobrir ou deixa de encobrir suas vergonhas do que de mostrar a cara. Acerca disso são de grande inocência.
Ambos traziam o beiço de baixo furado e metido nele um osso verdadeiro, de comprimento de uma mão travessa, e da grossura de um fuso de algodão, agudo na ponta como um furador. [...]
O Capitão, quando eles vieram, estava sentado em uma cadeira, aos pés uma alcatifa por estrado; e bem vestido, com um colar de ouro, mui grande, ao pescoço.
[...] Acenderam-se tochas. E eles entraram. Mas nem sinal de cortesia fizeram, nem de falar ao Capitão; nem a alguém. Todavia um deles fitou o colar do Capitão, e começou a fazer acenos com a mão em direção à terra, e depois para o colar, como se quisesse dizer-nos que havia ouro na terra. E também olhou para um castiçal de prata e assim mesmo acenava para a terra e novamente para o castiçal, como se lá também houvesse prata! [...]
Parece-me gente de tal inocência que, se nós entendêssemos a sua fala e eles a nossa, seriam logo cristãos, visto que não têm nem entendem crença alguma, segundo as aparências [...]
Até agora não pudemos saber se há ouro ou prata nela [na nova terra], ou outra coisa de metal, ou ferro; nem lha vimos.
E desta maneira dou aqui a Vossa Alteza conta do que nesta Vossa terra vi. E se a um pouco alonguei, Ela me perdoe. Porque o desejo que tinha de Vos tudo dizer, mo fez pôr assim pelo miúdo. [...]
Beijo as mãos de Vossa Alteza,
Deste Porto Seguro, da Vossa Ilha de Vera Cruz, hoje, sexta-feira, primeiro dia de maio de 1500.
Pero Vaz de Caminha.

Fonte: http://www.culturabrasil.org/zip/carta.pdf

Agora que já conhecemos um pouco da Carta de Pero Vaz de Caminha, vamos testar nossos conhecimentos!

1. Descrever é expor detalhadamente as características de um lugar, de um ser ou de um objeto. Sabendo disto, retire do texto passagens nas quais o escrivão do rei descreve os habitantes do “novo mundo”.

2. Pela descrição feita por Caminha, qual seria a visão do colonizador em relação aos povos indígenas?

3. Observe a seguinte passagem da Carta:
"Todavia um deles fitou o colar do Capitão, e começou a fazer acenos com a mão em direção à terra, e depois para o colar, como se quisesse dizer-nos que havia ourona terra. E também olhou para um castiçal de prata e assim mesmo acenava para a terra e novamente para o castiçal, como se lá também houvesse prata! [...]"

Nesse trecho, Caminha destaca e interpreta os acenos feitos pelos índios, relacionando-os à possível existência de metais ouro ou pedras preciosas. O que esse destaque revela sobre as intenções do homem europeu com a descoberta de novas terras?

4. Leia a seguinte passagem:
“para os portugueses o ouro é que tinha valor, enquanto para os indígenas uma conta de colar ou um guizo eram mais importantes; para os portugueses, os índios eram vistos como mão-de-obra a ser explorada ou almas a serem cristianizadas; já para os indígenas, os lusitanos eram homens diferentes com quem queriam trocar objetos.”
(RONCARI, 2002, p.29)

Considerando a leitura da Carta de Achamento do Brasil e a passagem do texto do pesquisador Luiz Roncari, responda: Em sua opinião, o que, provavelmente, o índio estava tentado dizer aos viajantes?

Aula 2: Denotação e conotação
Atividade 2

1. Relacione os ditos populares às imagens:
a) Pendurar as chuteiras;
b) Engolir sapos;
c) Pisando em ovos

2. Podemos afirmar que as imagens retratam os ditados em linguagem denotativa ou conotativa? Explique.

3. Podemos perceber que as imagens não veiculam o sentido que esses ditos têm na nossa fala cotidiana. Qual seria o significado que, geralmente, atribuímos a cada uma dessas expressões?

4. Leia a tirinha a seguir e responda:
Fonte: http://www.ocponline.com.br/blog/caricato/post/668-descobrimento-do-brasil.html

O humor da tirinha se pauta na possibilidade de uma mesma palavra assumir mais de um significado.
a) Na tirinha acima, qual palavra possui essa característica?
b) Que sentidos são atribuídos a ela?

5. Agora observe estes fragmentos retirados da Carta de Caminha:
“Nem comem senão desse inhame, que aqui há muito, e dessa semente e frutos, que a terra e as árvores de si lançam. E com isto andam tais e tão rijos e tão nédios, que o não somos nós tanto, com quanto trigo e legumes comemos.”

“Contudo, o melhor fruto que dela [da nova terra] se pode tirar parece-me que será salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve lançar.”

Neles, é possível perceber que as palavras destacadas não possuem o mesmo significado nos dois contextos. Então responda:

a) Indique os possíveis significados das palavras “semente” e “fruto” em cada uma das passagens destacadas do texto.

b) Considerando a reposta anterior, explique: Em qual trecho as palavras destacadas foram empregadas em sentido figurado, conotativo? E em qual foram utilizados com sentido denotativo?

Aula 3: Elementos da comunicação
Atividade 3

1. Leia a tira a seguir e responda:
Fonte: http://www.ocponline.com.br/blog/caricato/post/668-descobrimento-do-brasil.html

a) Qual é o código empregado na fala do índio?
b) Qual é o contexto ou referente da mensagem veiculada na tirinha?

2. Considerando que a Carta de Achamento do Brasil é um texto, no qual o escrivão Pero Vaz de Caminha apresenta as terras e os habitantes do Movo Mundo ao, então rei de Portugal, D. Manuel I, complete o quadro, a seguir, indicando os elementos e conceitos que faltam:
3. Observe, a seguir, o trecho da Carta: "Todavia um deles fitou o colar do Capitão, e começou a fazer acenos com a mão em direção à terra, e depois para o colar, como se quisesse dizer-nos que havia ouro na terra. [...] Até agora não pudemos saber se há ouro ou prata nela [na nova terra], ou outra coisa de metal, ou ferro; nem lha vimos. Segundo a passagem, podemos perceber que o escrivão do rei não conseguiu descobrir se existiam ou não metais preciosos nas terras da colônia, porque eles e os índios não falavam o mesmo idioma."

Considerando as informações responda:
a) Somente os gestos foram suficientes para que a os colonizadores e os indígenas se comunicassem plenamente?
b) Qual dos seis elementos da comunicação está relacionado a essa dificuldade de entendimento entre portugueses e índios? 

Aula 4: Tratado da terra do Brasil
Atividade 4

O fragmento, a seguir, pertence ao Tratado da Terra do Brasil. A importância desse texto provém da observação e do registro que o cronista faz da língua e da cultura indígena, pois evidenciam a visão fantasiosa e depreciativa do europeu em relação aos povos nativos, muito comum naquela época.

DA CONDIÇÃO E COSTUMES DOS INDIOS DA TERRA

Não se pode numerar nem compreender a multidão de bárbaro gentio que semeou a natureza por toda esta terra do Brasil; porque ninguém pode por o sertão dentro caminhar seguro, nem passar por terra onde não acha povoações de índios armados contra todas as nações humanas, e assim como são muitos permitiu Deus que fossem contrários uns dos outros, e que houvesse entre eles grandes ódios e discórdias, porque se assim não fosse os portugueses não poderiam viver na terra nem seria possível conquistar tamanho poder de gente. Havia muitos destes indios pela Costa junto das Capitanias, tudo enfim estava cheio deles quando começaram os portugueses a povoar a terra; mas porque os mesmos indios se alevantaram contra eles e faziam-lhes muitas traições, os governadores e capitães da terra destruíram-nos pouco a pouco e matarão muitos deles, outros fugirão pela o Sertão, e assim ficou a costa despovoada de gentio ao longo das Capitanias. Junto delas ficarão alguns indios destes nas aldeãs que são de paz, e amigos dos portugueses. A língua deste gentio toda pela Costa é, uma: carece de três letras — convém saber, não se acha nela F, nem L, nem R, cousa digna de espanto, porque assim não têm Fé, nem Lei, nem Rei; e desta maneira vivem sem Justiça e desordenadamente. Estes indios andam nus sem cobertura alguma, assim machos como fêmeas; não cobrem parte nenhuma de seu corpo, e trazem descoberto quanto a natureza lhes deu. Vivem todos em aldeias, pode haver em cada uma sete, oito casas, as quase são compridas feitas a maneira de cordoarias; e cada uma delas está cheia de gente duma 16 parte e doutra, e cada um por si tem sua estância e sua rede armada em que dorme, e assim estão todos juntos uns dos outros por ordem, e pelo meio da casa fica um caminho aberto pela se servirem. Não adoram cousa alguma nem têm pela si que há na outra vida glória pelos bons, e pena pela os maus, tudo cuidam que se acaba nesta e que as almas perecem com os corpos, e assim vivem bestialmente sem ter conta, nem peso, nem medida. 

Fonte: http://www.nead.unama.br/site/bibdigital/pdf/oliteraria/379.pdf

Agora, vamos aprofundar um pouco mais a nossa leitura sobre o texto Tratado da Terra do Brasil, de Pero de Magalhães Gandavo.

1. A descrição feita por Gandavo revela um grande estranhamento do autor em relação aos povos nativos e aos seus costumes. Retire do texto passagens em que o cronista aponta comportamentos ou ações dos índios que seriam contrárias ao seu modelo de civilização.

2. Ao descrever a língua Tupi, Gandavo, relaciona a ausência de três letras – F, L e R – no alfabeto indígena a uma limitação sociocultural. Para o autor, como o idioma refletiria essa desorganização social dos índios, na visão do europeu?

3. Além de várias passagens descritivas, podemos perceber que Gandavo narra um dado episódio para comentar a ausência de nativos ao longo das capitanias. Observe: Havia muitos destes índios pela Costa junto das Capitanias, tudo enfim estava cheio deles quando começaram os portugueses a povoar a terra; mas porque os mesmos índios se alevantaram contra eles e faziam-lhes muitas traições, os governadores e capitães da terra destruíram-nos pouco a pouco e matarão muitos deles, outros fugirão pela o Sertão, e assim ficou a costa despovoada de gentio ao longo das Capitanias. Junto delas ficarão alguns índios destes nas aldeãs que são de paz, e amigos dos portugueses.

a) Segundo o autor o que ocorreu com os índios que ali habitavam? 
b) Quem o autor culpou pelo incidente?
c) Você concorda com o autor? Explique.

Aula 5: As Funções da Linguagem
Atividade 5

1. Com base nos seus conhecimentos sobre as funções da linguagem, complete a tabela a seguir:

2. O objetivo dos relatos que compõem grande parte do Tratado da Terra do Brasil era descrever de forma clara e direta os acontecimentos, as paisagens e os habitantes do Novo Mundo. Sendo assim:
a) Qual elemento da comunicação recebeu maior destaque no fragmento do Tratado de Gandavo?
b) Que função da linguagem predomina, então, no texto?

3. Observe o trecho e responda: A língua deste gentio toda pela Costa é uma: carece de três letras — convém saber, não se acha nela F, nem L, nem R, cousa digna de espanto, porque assim não têm Fé, nem Lei, nem Rei;
a) Qual elemento da comunicação está sendo enfatizado na passagem acima?
b) Qual é a função da linguagem predomina?






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Plural por dentro?!

Homônimos homófonos

Adjetivos Pátrios de cidades brasileiras